Arquivo da categoria: Astrologia Horária

AH-O submarino não será encontrado?

Relutei em fazer essa pergunta por dias, mas com essa entrada do Sol em Sagitário, animei-me. Abri o jornal agora mesmo e me veio a pergunta horária cristalina na cabeça:

O Submarino não será encontrado?
( 22/11/2017 às 17:04:53 UTC-02 São Paulo, SP Brasil)

<MAPA HORÁRIO>

O mapa nasce na hora de Saturno, o grande regente de situações nefastas e do tempo, rege o MC do mapa horário e também o signo interceptado na décima.  Creio que Urano, o mentor da Astrologia e também regente de Aquário interceptado, nascendo no oriente de São Paulo no momento da pergunta, tem a ver com o terrível desastre do navio. Por enquanto, o que sabemos é que houve um desaparecimento inusitado no meio de águas turbulentas, com ondas altíssimas, na costa argentina e que deixou um último sinal de vida já há alguns dias. O noticiário mais recente que tenho disponível está nesses links (link1link2). Ele desapareceu desde o dia 15/11.

Bom, mas falando do mapa horário não temos boas notícias a serem dadas. Se foi realmente uma coisa de Urano como assinalou o mapa, podemos estar potencialmente frente a uma explosão no navio e consequente afundamento do mesmo. Sendo assim, é de se esperar que toda a tripulação pode estar morta e o submarino perdeu o contato pleno, não porque foi abduzido, como querem alguns sensitivos, mas porque não há mais uma vivalma nele. Vejam que Urano já entrou na 12a casa, dos desaparecimentos e está no 25º de Aquário que traz a seguinte mensagem sabiana: Um homem de olhos vendados, marchando até uma fossa profunda Interessante, não é mesmo? O homem no caso pode ser entendido como o corpo do submarino indo para o fundo.

Vejamos outros sinais do mapa horário.  A Lua, o outro significador da pergunta (primeira casa) está em conjunção partilíssima com Plutão. São apenas dois segundos passados da conjunção. Isso é um símbolo perfeito para transformação (morte) pelas águas turbulentas (lua no exílio) na nona casa (longe) e indo para os reinos de Hades (os infernos, estereotipo de um lugar distante e profundo, onde se recebem os mortos ao atravessarem o rio Tártaro).

Ainda temos Marte, o regente do ascendente (o submarino) em oposição aplicativa a Urano. Marte está também no exílio em Libra e não confere força ou potência ao submarino. Isso também é sinal de explosão. Se considerarmos o mapa horário assim, é direto que a sexta casa, das doenças, é também a causa mortis do navio. Morreu pela energia. Algo lhe falhou ou explodiu, como as baterias, combustível e propulsão.

O Sol que estava em escorpião durante o desaparecimento, acabou de entrar na oitava casa, a casa da morte, do afundamento e  distante (sagitário) ou profundo, como é bem possível. Um outro sinal do mapa horário é que ele é tardio, já não se pode fazer mais nada, pois tudo que poderia ser feito, já foi feito. O Ascendente, além de nascer em grau tardio, está em quadratura quase exata com o MC. Essa situação ocorre raramente no ano. Por outro lado, o regente da hora, Saturno, está conjunção em com o Centro de nossa galáxia, a Via Láctea, em 26-27º Sagitário e entrando na nona, uma viagem mais longa do destino. Ele é o único que faz uma ligação positiva com os tripulantes e a nave. Isso é um sinal de morte rápida.  O Sol representa o signo interceptado de Leão na 4a casa, que também é regida pela Lua conjunta a Plutão. Além disso, o Nodo Norte está nessa casa, indicando fatalidade no final das contas. Em síntese, um final trágico para o submarino.

Ainda confirmam os dados, a famosa antiscia de Marte, lado oculto da nave, que está conjunta a Netuno (mar, confuso) em Peixes (signo de água). Isso é um sinal que o desaparecimento pode ter sido mesmo por afundamento. Para quem gosta de estrelas fixas, a famosa Algol está na cúspide da 2a casa de Regiomontanus. Essa casa representa o futuro imediato da questão. Mais um sinal de morte.

Há um fato positivo nesse mapa, onde forças do exterior, anteriormente antagônicas com à Argentina, como o Reino Unido e EUA na guerra das Malvinas, se uniram ao contingente internacional para a busca. Na dor, houve a compaixão internacional. Isso é positivo para uma paz duradoura, como mostra a presença de Vênus e Júpiter na 7ª casa, dos países amigos. A Argentina acaba metaforicamente sendo a extensão de seu submarino, nesse mapa horário, representada por Áries e marte, que agora luta pelos seus concidadães. Esperamos que possam pelo menos descobrir algo sobre essa nave,  para trazer paz aos parentes que ficaram na dor de perderem seus  entes queridos, de forma tão estranha.

Reencarnação existe?

A reencarnação é algo intangível e muito difícil para algumas pessoas acreditarem na sua possibilidade. Normalmente, na astrologia, muitos acreditam em reencarnação. Pelo fato da astrologia estar vinculada a muitos grupos místicos, acredita-se na reencarnação de uma forma muito generalizada, tanto pelo espiritismo ou pelo espiritualismo oriental. Mal podemos distinguir  astrólogos que não acreditam nessa grande incógnita da humanidade. O fato é que vida pós-morte e o eventual retorno reencarnatório para o aprimoramento do espírito se encaixam muito bem à filosofia utilizada pela astrologia.

Foi feita uma pergunta horária no grupo de Astrologia Horária que dirijo e a autora me autorizou a publicar essa crônica, com base na sua pergunta. Esse grupo de AH tem a finalidade de ajudar astrólogos a exercitarem essa técnica astrológica, que poucas vezes tem a oportunidade de perguntas tão transcendentes. O mapa ao meu ver é interessantíssimo. No entanto, o mapa horário é marginalmente radical (ASC>27). Assim, devemos entender que a pergunta não é para ser respondida com um simples sim ou não. O céu está dizendo que há algo tão complexo para se dizer que exigiria uma reflexão muito além da própria astrologia. Na idade média, as pessoas eram convidadas a orar, antes de repetir tais perguntas. Portanto, quem sou eu para dizer um sim ou um não sobre reencarnação. Trata-se de uma concepção filosófico-religiosa muito complexa. Vou apenas me aventurar a ver o que o mapa nos revela em termos gerais, sem chegar a uma conclusão assertiva.

<<Mapa Horário>>

Vemos que o mapa surge entre o 27 e 28 grau de Peixes. Como mensagem sabiana temos: “A fertile garden under the full moon reveals a variety of full-grown vegetables” (Um jardim fértil sob a lua cheia revela uma variedade de vegetais maduros). Vejo muito significado nessa frase mística, onde o terreno fértil é a própria experiência terrena sob o aspecto das emoções (lua cheia) revelando a existência de espíritos já maduros na experiência das gerações. Em outras palavras, está nos dizendo que a filosofia da reencarnação já é uma revelação. É o místico explicando o místico.

O mapa em si revela uma primeira casa vazia. Portanto, com o corpo físico não temos nada de concreto para responder. Por outro lado, os regentes do ascendente estão nas casas da transcendência (na 12a e na 8a). Veja que a reencarnação não é para os nossos olhos físicos; deve ser entendida no post mortem (8a) e também nas sombras e penumbras de nossa vivência terrena, como nos sonhos e nas orações, já que se referem os assuntos apropriados da 12a casa.

Além disso, o mapa nos dá as lições de reencarnação que devemos migrar de vida após vida. Comecemos pela energia da vida, o Sol.

O símbolo maior da vida, o Sol, está na sua queda astrológica e fazendo plena conjunção e combustão ao planeta psicopompo, Mercúrio, aquele que guia as almas após a morte; que as leva da Terra aos Infernos para o julgamento no reino de Hades. Os dois planetas estão no signo da balança. Libra pesa as nossas ações no plano terreno e espiritual. É um claro sinal dentro da filosofia reencarnatória, do princípio de ação e reação.

O ferido planetoide Quíron foi quem motivou o querente a lançar essa pergunta. É um ser bicorpóreo homem-cavalo, o centauro; ele tem o lado humano terreno, representado pela metade cavalo,  e está machucado (pata ferida pelos venenos da Hidra de Lerna, os percalços da vida). A outra metade é a de um corpo vigoroso masculino, representando o lado espiritual em evolução, lançando a as flechas dos objetivos futuros. Não há melhor representação para esse mapa do que o próprio centauro, que sofre no planeta de expiações, mas que se liberta no aprendizado planejando as futuras experiências em várias vidas.

Saturno, o ceifador de vidas, marca o Meio-do-céu desse mapa. Está em sagitário e isso nos reafirma o lado bicorpóreo do centauro Quíron, simbolo maior dessa constelação e que dá passagem para a grande viagem evolutória. Mas é impressionante o posicionamento desse MC em conjunção com Saturno, está no grau do Centro da nossa Galáxia. Essa é a região mais energética da nossa Via Láctea. Devemos lembrar que Saturno é o regente de Capricórnio, que está quase completamente alocado na 10a casa desse mapa e que está sendo visitado por ninguém menos do que o planeta Plutão. O Planeta Plutão, o rei dos infernos míticos, é aquele que vai julgar as almas terrenas pelos seus feitos. Se ruins, serão arremessadas ao Rio Tártaro para sentirem o grande fluxo das eternas reencarnações corretivas; caso tenho agido positivamente, essas almas são enviadas para os Campos Elísios, em escala evolutiva de angelização.

Eu mesmo acredito que a reencarnação existe, dentro dessa filosofia de Karma e Dharma. Sinto que sou parte de um processo evolutivo, por isso, talvez não pudesse dizer que ela não existe. Mas esse mapa com a singularidade e honestidade da pessoa que o gerou, mostrou para mim que a astrologia nos mostra algo que existe no nosso interior. Assim, somente a transcendência da nossa alma e crença nessa filosofia (ou religião) pode no dar certeza para dizer que a reencarnação existe. E assim a astrologia nos devolve a dúvida atroz da existência ou não da reencarnação. Tudo depende da sua crença.

Adon Saleeby