Horóscopo?!… Não! Fora!

Hoje, fui literalmente escorraçado de um grupo português por publicar horóscopos. Sim, o horóscopo por decanatos, que sempre publico todos os dias e que me dão um tremendo trabalho para prepará-los, foi a causa da expulsão. Chamaram-me de robot e de propagandista. Fui tratado como um intruso em sala alheia. Supostamente, todos eram astrólogos por lá. Percebi, então, que pertenciam a um séquito para-religioso, talvez um grupo fanático com alguma linha astrológica seclusa. Fizeram comigo, o que faziam na idade média, com as bruxas e videntes. E assim fui queimado na fogueira virtual. Odeiam-me os donos da lista, talvez nem todos os membros, que ali frequentam. Talvez não só meus horóscopos, mas também os meus textos astrológicos interpretativos vindos de uma terra longínqua.

Resolvi consultar o que havia escrito em meu horóscopo. Para minha constatação estava lá o vaticínio.

1° Decanato de Virgem – de 23/08 a 01/09 [Conjunção com o Sol] Momento interessante para você refletir sobre toda sua natureza social e profissional de uma forma decidida. As pessoas estarão prestando muita atenção em você… Afinal de contas é o momento do seu aniversário. [Semiquadratura com Lua] As suas emoções nesse momento são desafiantes. Deve-se enfocar nos problemas da casa e nas relações familiares com menos emoção. [Conjunção com Mercúrio] Por que não falar o que está pensando. Seu aspecto comunicador é forte e pode lhe trazer bons lucros… Vá em frente, pois parado você não pode ficar.

Apesar do aspecto tenso com a Lua, havia indicações que não poderia aceitar essa cena de bom grado e ficar quieto. Deveria falar. E estou falando, até mesmo, para explicar porque faço esses horóscopos.

Primeiramente, a astrologia solar,  baseada na posição natal do Sol (nosso signo solar) é mais antiga do que a serra. São esses os horóscopos. Baseiam-se em nosso astro-rei, onde estava posicionado no momento de nosso nascimento. Esse é o ponto fundamental de nossos mapas astrais. Sobre esse ponto devemos nos debruçar para entender os motivadores astrológicos que nos guiam no dia a dia.  Horóscopos existem desde antanhos, quando a astrologia se conhece como arte de interpretação do futuro. Há um registro contundente, que chegou até nossos dias, de Santo Agostinho (século 3) fazendo vaticínio com a posição astral para um empresário da época. Ele escreveu isso.

Há vários tipos de horóscopos. Muitas vezes, os horóscopos, como os de jornais, são criticados, pois tem uma orbe muito grande de interpretação (+/- 15º de longitude zodiacal). Resolvi dividi-los em decanatos (10º) e a orbe de interpretação fica muito mais precisa, cai para +/- 5º. Para ser mais detalhista, pois sou virginiano do primeiro decanato, coloco junto ao comentário, o aspecto que ocorre ao Sol natal pelos planetas mais rápidos (Lua, Mercúrio, Vênus, Marte) fazendo aspectação com o ponto central do decanato. Tudo feito com precisão matemática, utilizando as efemérides da NASA. Redijo minhas análises para essas angulações e com ajuda do computador monto o horóscopo com os cálculos e textos. Assim eu não erro. Monto tudo direitinho e faço a publicação diária do horóscopo. Isso é um grande trabalho. Disso não usufruo nada, aliás gasto para manter o site. Por outro lado, a minha profissão de professor universitário e os alguns clientes que tenho já me dão a estabilidade financeira necessária para a minha vida. Portanto, que fique claro, que faço horoscopia por amor à arte e até mesmo a promoção de nossa arte-ciência tão desacreditada nos dias de hoje.

Vou além, pois acredito que os horóscopos levam às pessoas orientações para se entenderem com o seu signo astrológico. Isso me motiva espiritualmente e já me faz  feliz em poder ajudar. Isso é para mim uma missão.

Poderiam me questionar quanto às interpretações. Bom, primeiramente, não destruo ninguém, falo de possibilidades de vencer obstáculos em momentos astrológicos críticos e de crescer quando os fatores são positivos. Por exemplo, para mim mesmo, o horóscopo de hoje me ajudou a entender, que não deveria me calar, mas expressar o meu sentimento e sobre o que pensava. Só o fato de já estar escrevendo aqui, fico menos descontente com a minha exclusão da referida lista. Analiso-os agora, como pertencentes a uma outra cultura e que não falam a mesma linguagem e estilo astrológico do nosso Brasil.  Que fiquem em paz com o que desejam para si! De qualquer forma, amo Portugal e os portugueses. Mas cada um no seu quadrado, isso os regentes da lista, da qual fui expulso, me mostraram.

Acho que caberia aqui comentar que a astrologia é um espectro amplo. Cabe considerá-la desde a chamada astrologia científica até a astrologia espiritualista e mista com outras artes mânticas. Todos que utilizam o céu como meio de linguagem simbólica não deixam de ser astrólogos. Isso é a verdade! Um horóscopo, como esse que faço, é muito próximo de uma interpretação por trânsitos no mapa astral. Um astrólogo não poderia falar muito mais do que tenho escrito sobre a aspectação do sol para um determinado dia. Mas, mesmo assim,  isso tem sido interpretado com reservas e, até mesmo, abominação por alguns. Pena que esse preconceito exista até mesmo dentro do nosso meio astrológico.

Utilizar a astrologia, em todas as suas vertentes, pode alterar  muito o nosso comportamento pessoal e interpessoal. Mas, para que isso ocorra, temos que olhar com maior amplitude e tolerância todo esse cosmos ao nosso redor.

Em pleno inferno zodiacal, mas quase saindo dele, abraço a todos vocês que puderam me ouvir nesse desabafo.

Adon Saleeby