Obesidade (I): Previsível pela Astrologia!

FatoresSignosContour

O que vocês estão vendo na figura não é uma obra de arte de um modernista, mas um gráfico provindo da análise estatística que fiz com 755 mapas de pessoas que se pre-dispuseram a me fornecer os dados para essa análise, contra-posto a um banco de controle de outros 20 mil mapas gerados aleatoriamente. Muito obrigado aos que contribuíram até o momento, mas a coleta continua e espero que possam participar (LINK) e trazer mais pessoas para a pesquisa.

Debrucei-me nos dados coletados nesse fim de semana. Só para terem uma dimensão do que fiz foi vou contar uma ladainha estatística. Fiz os mapas individuais de todos os 755 mapas e ai fiz uma busca eletrônica de dois grandes grupos de fatores astrológicos entre todos os mapas classificados pelo IMC (peso/(altura)^2). Sabemos que abaixo de 20 estão os magros, até 25 os normais em peso, acima disso até 40 estão os obesos e acima de 40 os obesos mórbidos. Bom, grupei os dados em 4 situações: (1) Posicionamentos de longitude eclíptica (signos) positivos e negativos (aliás 6 setores dentro de cada signo) para cada astro até Saturno +Asc e +MC. Demais planetas e nodo são muito lentos e não permitiriam uma análise estatística confiável para o grupo amostrado; (2) os fatores de aspectos astrológicos, 11 aspectos foram considerados, de 0 a 180, privilegiando a exatidão do aspecto utilizando um fator multiplicativo trigonométrico do tipo cosseno para o angulo entre os astros em orbe no ângulo notável. Em síntese, foram 504 fatores de signo e 792 fatores para os aspectos entre os 13 pontos significativos (Sol, Lua, … plutão, nodo verdadeiro, Asc, MC). A programação ficou relativamente complexa, mas muito precisa. Isso foi aplicado a cada mapa e se coletaram os fatores globais positivos e negativos de signos e de fatores.

Exatamente isso é o que vocês estão vendo acima. Um gráfico que mostra os efeitos do fatores de signos e de aspectos que tendem a engordar De 50  até 100, tendem a engordar, abaixo de 50 tendem a diminuir o peso. Vejam que as manchas mais azuis são as de baixo peso e as manchas laranjas e vermelhas são de pessoas mais obesas.

Pois é… como você está nesse gráfico pelo seus fatores astrológicos de signo e de aspectos? Não há como saber pela simples inspeção do mapa astral, pois a avaliação disso depende dessas tabelonas que eu consegui produzir e que estão ainda dentro do meu computador. E cada mapa produz isso individualmente. Apenas temos ideia que alguns posicionamentos em signos produzem obesidade e intensidade e exatidão de um bom número de aspectos tendem aumentar o peso. Fazer generalizações disso é complexo. Mas, vou comentar em outras postagens alguns casos interessantes que encontrei.

Agora entro na segunda fase da programação, pois com base nos fatores de obesidade, podemos computar os fatores de obesidade para o nascimento das pessoas e fazer previsões bem confiáveis se uma determinada criança tende ou não ser obesa. Além disso, também será possível planejar para cada pessoa individualmente as fases em que ela tende engordar e, portanto, gerar um plano cronológico dessas piores fases  (visto por um ponto de vista de uma pessoa obesa) e aí se planejar uma dieta assistida por  exercícios físicos nessa fase.

Mas, para se chegar a tabela de dieta astrológica, vou precisar batalhar muito na programação por mais um período. Eu chego lá enquanto esse urano em Áries estiver fazendo quadratura exata com o meu urano natal.

===

Publicações sobre a obesidade:

  1. Obesidade (I): Previsível pela Astrologia!
  2. Obesidade (II): Signo Ascendente.

Se você ainda não participou de nosso banco de dados de pesquisa da obesidade, por favor inscreva-se… LINK

===

Participe do Grupo ASTROTENDENCIA

Consultas: Adon Saleeby

5 ideias sobre “Obesidade (I): Previsível pela Astrologia!”

  1. Enfim, estarei em breve sabendo como avaliar os casos na minha família. Uma contribuição que vai cada vez mais mostrando a astrologia na vanguarda de previsão de fatores de saúde.
    Parabéns!

  2. Caro colega, Adon Sallebby

    Parabéns pela iniciativa em realizar um levantamento e uma pesquisa científica/estatística abordando a obesidade no Mapa Astral dos voluntários. A nosso ver este tipo de pesquisa é ao mesmo tempo ousada por ser pioneira e também muito importante para a Astrologia em si. Para nós esta sua pesquisa poderá ser o primeiro passo rumo à uma comprovação científica devidamente embasada da Astrologia e seus saberes.

    Visando contribuir com sua pesquisa já em andamento, enviamos abaixo algumas ponderações que talvez você possa verificar, já que está com o banco de dados das posições astrológicas devidamente tabulado e digitalizado.

    Nossas sugestões são o resumo de décadas de estudo, avaliação e comprovações no atendimento astrológico.

    Esperamos sinceramente que esta nossa sugestão possa contribuir com a exatidão no diagnóstico da obesidade. Uma vez bem realizado o diagnóstico aí então podemos nos debruçar sobre a questão do tratamento alternativo com base nos conhecimentos astrológicos.

    Atenciosamente,

    Juarez de Fausto Prestupa
    Academia Ciência Estelar

    OBESIDADE
    A obesidade hoje é considerara praticamente uma epidemia no planeta.
    Há quem afirme que ela esteja relacionada com uma enzima e outros que estela relacionada à uma bactéria. O fato é que existem pessoas mais e outras menos propensas a desenvolver a obesidade.

    ÁGUA OU GORDURA
    Durante a prática astrológica observamos que a obesidade tem duas e distintas formas ou razões: por acúmulo de água e por acúmulo de gordura.
    O acúmulo de água tem por planeta central a Lua.
    O acúmulo de gordura, por sua vez, tem como planeta central Vênus.

    POSICIONAMENTO DE LUA E VÊNUS
    É claro que os signos onde se encontram estes planetas são determinantes em termos de desenvolvimento ou não destes acúmulos.
    Assim, os signos de ar e de fogo tendem a não contribuir para o desenvolvimento da obesidade.
    Já os signos de terra e principalmente os de água contribuem efetivamente para o acúmulo de água ou gordura. Destacam-se aí os signos de Touro e Câncer.

    Obviamente a posição de Lua e Vênus na Casa I contribui sobre maneira para a tendência à obesidade, mas também o são as Casas Fixas (2, 5, 8 e 11).

    O FATOR JÚPITER
    Quanto à obesidade, deve-se também considerar com muita atenção e cuidado o planeta Júpiter, visto que é o grande dispositor da Diabetes. Sabe-se que quando direto, aspectando Lua e Vênus (em harmonia ou desarmonia) se mostra um poderoso indicador de tendência para a obesidade. Mas, além disso, ele por si só pode também ser um grande fator de aumento de peso, principalmente se em desarmonia com Saturno.
    A retrogradação de Saturno (principalmente em desarmonia com Lua ou Vênus) também “funciona” como Júpiter se tornando um fator de tendência para a obesidade.

    OS COMPENSADORES
    Outro fator a se considerar é o equilíbrio ou compensação que a secura de Saturno pode realizar sobre a humidade da Lua e que a combustão de Marte pode exercer na acomodação de Vênus. Por si só, Saturno e Marte retrógrados resultam como que Lua e Vênus no Mapa Astral.

    DISPOSITOR DA CASA I
    Talvez seja conveniente considerar também o planeta dispositor da Casa I, sua retrogradação, posição em termos de signos (de água ou fogo), aspectação com Júpiter, Saturno, Marte, Lua e Vênus.

    O FATOR TEMPO
    Observa-se que a despeito das tendências astrológicas, elas em si sofrem uma importante influência do tempo de vida e etapa etária em que a pessoa se encontra. Ou seja, uma pessoa com pequena tendência para a obesidade pode não apresentá-la durante a infância ou mesmo adolescência e somente na idade adulta por força da ação dos hormônios, estímulos e atividades.

    FÓRMULA PROBABILÍSTICA
    Talvez seja possível desenvolver uma fórmula simples considerando-se “pesos” de importância sobre indicadores pró e contra a obesidade e assim ponderar-se o “quanto”.
    Ou seja, deve-se considerar sempre os cinco planetas: Lua, Vênus, Saturno, Marte e Júpiter.
    Por exemplo, pode-se propor os seguintes pesos:
    Lua ou Vênus na Casa I = +2
    Ascendente, Lua ou Vênus em signo de Água = +2
    Ascendente, Lua ou Vênus em signo de Ar ou Terra = – 1
    Ascendente, Lua ou Vênus em signo de Fogo = -2
    Lua ou Vênus em Casa Fixa = +1
    Saturno ou Marte (diretos) na Casa I = -2
    Júpiter direto em desarmonia com Ascendente, Lua ou Vênus = +2
    Júpiter retrógrado aspectando Ascendente, Lua ou Vênus = +1
    Saturno ou Marte em harmonia com Ascendente, Lua ou Vênus = -1
    Saturno retrógrado em desarmonia com Lua ou Vênus = +2
    Saturno ou Marte retrógrados = +1

    PONTUAÇÃO
    Talvez seja conveniente informar que até uma faixa de pontuação positiva a pessoa parte de uma tendência para até o sobre-peso e a partir de um determinado nível de pontuação seja obesidade até um outro patamar que chegue à obesidade mórbida.

    Salientamos que estes números são apenas sugestões iniciais para um possível cálculo probabilístico e que não se trata de algo que já tenhamos feito e comprovado anteriormente. Eles surgem como esforço intelectual resultado do estímulo que sua pesquisa ocasionou em nós. Ou seja, o conceito da “fórmula” em si e seus números ou mesmo variáveis são total e absolutamente passíveis de receber contribuições, correções e adaptações para melhor refletir uma avaliação objetiva de tendência astrológica para a obesidade.

    Gratos pela atenção dispensada. Esperamos que de fato estas informações possam colaborar com sua pesquisa em benefício da Astrologia e das pessoas em geral.
    Como as postagens no Facebook se perdem na linha do tempo, solicitamos que se possível alguma resposta à esta nossa contribuição nos reja remetida por e-mail para o endereço prof.juarez@cienciaestelar.org.br

Deixe uma resposta