Oh, Meu Deus!

A escalada de violência no mundo nos deixa horrorizados. Às 21:58 BST ocorreu o ataque na London Bridge. Uma noite de verão, onde muitos inocentes comemoravam a proximidade do verão na noite londrina. Os terroristas do Estado Islâmico, pela terceira vez, desde Março de 2017, atacaram inocentes na Inglaterra. Fim dos tempos somados a tantos desatinos nos dias atuais? Em nome de Deus todo poderoso estão matando inocentes. Querem promover o medo, a desconfiança, a falta de liberdade? Isso tudo está acontecendo pelo simples fato de haver diferenças culturais e religiosas. Que idiotice é esse desse senhor do Islã. Eles matam em nome de Deus. Sentem-se iluminados para bater pesado com a mão do ódio e da vingança de um deus abominável que eles acreditam. Esse deus não faz o menor sentido do Deus onipotente e onisciente que nos ensinaram a crer. Isso é totalmente desconexo em minha cabeça e ainda mais quando vejo a astrologia.

A astrologia marca a presença de uma força descomunal que há no universo. Quando fatos e acidentes marcados ocorrem sincronicamente com os mapas astrais, vemos nisso não um acaso, que não nos preocupamos em ver uma força maior. Na verdade, a astrologia é a voz do grande arquiteto do universo. Esse ataque, assim como, muitos outros do Estado Islâmico, estão bem marcados pela astrologia. Mostram como a planificação dessas ocorrências são coerentes com a grande mente universal. Não consigo explicar de outra forma. Vejam o mapa e vamos ver como ele é síncrono com o atentado. Não acredito que há astrólogos do Estado Islâmico que poderiam fazer um mapa eletivo tão perfeito.

<<Mapa do Ataque >>

Sábado, era o dia de Saturno, quando os loucos islâmicos chegaram na van que atropelou e matou várias pessoas na London Bridge. Ainda saíram esfaqueando pessoas com as suas cimitarras anacrônicas. Pelo que se sabe são 48 vítimas entre mortos e feridos. Pois é, vemos o grande senhor dos tempos, assentando-se no ascendente desse mapa em 25 graus de Sagitário. Esse é o signo das religiões e seus fanáticos atávicos. Sagitário é regido por Júpiter, que está retrógrado na nona casa das filosofias religiosas. Ele está em conjunção com a Lua, em trígono crescente (Islã). A Lua era a regente da hora do ataque. Além disso, Saturno (a maldade) estava em oposição à Marte (a faca), já entrando na sétima casa (ataque aos outros). Não há dúvida que o ataque tenha vindo de islamitas em fúria.

A morte espreitava as pessoas.

Sim, podemos ver a morte no mapa. Um horror! Um verdadeiro desatino da humanidade em plena ação.  A oitava casa, que é a casa da morte, é imensa, abrange quase todo o signo de leão e o signo de virgem. Lá dentro está a roda da fortuna em conjunção partil com o eixo nodal. Ambos são sinais de fatalidade, da mão de Deus. Leão, onde nasce a casa da morte, é regido pelo Sol que está no signo de gêmeos (intelectualidade) na sexta (doença mental?) em quadratura aplicativa (dificuldades) e quase partil com Netuno, em seu signo Peixes, regente da transcendência divina, da dúvida e alienação fanática.  Em síntese, loucos divinizados atacando, por crenças enlouquecidas, vítimas inocentes.

E, mais, o Sol, o doador da vida, em gêmeos, é regido por Mercúrio, o psicopompo deus, que estava conjunto a estrela Capulus, naturalmente que também em conjunção com a maligna estrela Algol. Some-se a isso o antíscio de mercúrio no quinto grau de leão, na entrada da oitava, a morte. A pura maldade vinda pelas mãos e automóvel (gêmeos e mercúrio) dos fanáticos de Alá (Lua-Júpiter na nona). Quanto sordidez! Tudo forjado pelas bigornas de Hefesto, nas portas do inferno.  Sim, o tenebroso Hades também estava presente nesse arranjo macabro, pois assenta-se em capricórnio, um signo interceptado no bojo da primeira casa, totalmente regido pelo nefasto Saturno sagitariano.

E o fundo-do-céu e o meio-do-céu ?
O passado e o futuro marcado pelo mapa…

Nesse mapa, o futuro está amarrado ao passado. O fundo do céu, que representa o passado, está conjunto à conjunção Vênus e Urano em Áries. Sim, o pequeno benéfico, que rege o MC (o futuro), está totalmente engasgado com a modernidade (Urano) e as excentricidades de beleza e moda (Vênus). Há um conflito pleno e antropológico. Discordâncias culturais, incongruências profundas da formação sociológica da sociedade moderna. Na concepção dos desvairados do Estado Islâmico, matar exemplares dessa sociedade significa dar exemplos de correção dos desvios do mundo moderno. E, assim, colocam-se como os anjos do Senhor com as espadas da justiça em suas mãos. O problema é que a astrologia fala que há uma verdade transcendental nisso, por mais cruel que possa parecer, há.

Não quero discordar da teologia feita pelos homens. A Bíblia coloca um Deus cruel e sanguinário no Velho Testamento, que foi resgatado de forma amorosa por Jesus Cristo no Novo Testamento. Veio o Maomé e misturou os dois e colocou todo mundo no alcorão. E com essa salada teológica temos o resultado de hoje, transformada em uma jihad, a guerra santa.

Mas o mapa astral desse evento, lançou uma mensagem subliminar que ainda não tinha visto. Formou-se no mapa do momento, a estrela de David, dois triângulos intercruzados. Todas sabem que a estrela de David é um símbolo judaico famoso. É da cabala. É a base de todas as religiões judaico-cristã-muçulmana. Isso me deixou a grande dúvida, se isso não seria uma mensagem dada pelo Eterno. Que o ataque tinha a chancela de Javé-Deus-Allah… Fica para todos essa meditação sobre o que significa isso. Eu estou confuso com essas sincronias e o que entender disso de forma mais tangível. Nunca acreditei que esses malucos islamitas traziam um recado de Allah.

Será?