Trump e os Estados Unidos

Trump

Trump é um geminiano. Fala pelos cotovelos. Fala do mal com propriedade, só diz coisa ruim. Matar e dividir para reinar. É contumaz na maldade que pretende instaurar para um grupo secluso de alguns americanos poderosos, como ele. Ele mesmo nascido em berço de ouro. Nasceu em 14/06/1946 10:54 EDT+4:00 em Jamaica, NY, Estados Unidos. As características astrológicas dele são muito marcantes. E a comunidade direitista (Republicana) dos Estados Unidos resolveu apoiá-lo à disputa eleitoral pela presidência americana. Querem o retorno do grande império e querem um rei magnânimo com sua corte de déspota. Isso é um perigo para o mundo.

Além da sua grotesca retórica (mercúrio só tem aspectos ruins), o que encanta mais nele para muitos republicanos direitistas é a liderança que ele emana para direcionamento extraviado dos EUA. Isso é algo que a astrologia explica. Gêmeos é o descendente dos Estados Unidos, e lá está o marte beligerante da nação americana. Esse marte é o próprio símbolo da guerra, de todo envolvimento dos Estados Unidos em atitudes policialescas e beligerantes em todo o mundo.  O Trump tem o seu Sol em conjunção partil com esse marte da independência de 1776. Poderíamos qualificá-lo como a guerra personificada. Para completar esse quadro fatal, ele próprio tem o ascendente sobre a estrela Regulus, dos reis e rainhas. Assim, ele se sente um coroado, um rei ungido para dominar. Não faltasse mais indícios para essas características marcianas, temos o planeta marte de seu nascimento, nascendo no horizonte da Jamaica de Nova York. Poderia-se qualificá-lo pictoricamente, como um verdadeiro “Capitão América”, defensor inconteste dos brancos americanos. Para ele a negritude e os latinos são força de trabalho, são aqueles que alimentam o seu poder financeiro, representados por Netuno na sua segunda casa e a Lua em oposição ao seu Sol.

Devemos ainda considerar que ele nasceu momentos antes de um grande eclipse lunar pleno em que a Lua (popularidade) cai no signo de sagitário, aplicativa à oposição com o Sol. A lua escureceu durante esse eclipse  ficou vermelha. Trump representa essa Lua emoldurada nas sombras. O poder da subjugação,  Os fortes contra os fracos, dizendo que é a favor e mentindo como um bom geminiano destrambelhado. Não há democracia para Trump; trata-se do poder dos mais iguais, uma oligarquia daqueles que são brancos e endinheirados. É um anti-Obama na plenitude. Representa as glórias da América dos saudosos anos 1950. Viveu a opulência, espezinhando a pobreza. Sente-se um deus na sua prepotência de magnata. Que assim  digam os mexicanos e latinos! Todos esses são tratados como reles elementos nefastos de uma sociedade que eugeniza para se tornar perfeita. Uma verdade retórica hitleriana.

Uma coisa é certa, ele é persistente e busca o poder em todas as direções. Tem um lado carismático, como um cassino. Se diz a personificação do sonho americano. Quer ser esse exemplo para um comunidade idiotizada pela religião cega e alienada do centro dos EUA. Representa a rigidez das fábricas hierarquizadas e o forte capitalismo selvagem dos mais poderosos. Ele é o EUA que o mundo condena.

Trump tem todo o signo de virgem na primeira, lisa e plana, sendo ainda a cúspide da segunda, vê o mundo sem a complexidade que nele existe. Tudo se torna lhano no mundo dele, por onde quer passar sua arma de guerra. Tudo é apenas um quintal de produção, com a maquinaria  econômica para o endinheiramento da pirâmide social. Não quer saber quem dá o sangue para lhe dar o ouro.

Saturno conjunto a vênus no final de câncer, o faz descomensuradamente sem sentimos humanitários. Ele tem o mesmo desequilíbrio astral do mapa dos Estados Unidos, com muitos elementos em um só quadrante. Os EUA fazem o mundo o seu quintal. E Trump quer o próprio EUA a sua propriedade para satisfazer a sua megalomania. Temos que ter cuidado com ele. Caso ele seja eventualmente eleito, o mundo e o Brasil em particular não pertencerão ao mapa mundial. Significaremos algo sob a sua batuta, se apresentarmos como simbolo o tributo financeiro que ele tem avidez. O sol da Brasil cai no signo da sua casa do dinheiro e o Ascendente do Brasil, cae na casa do trabalho, seremos para ele os seus empregados. Assim, ele vê o Brasil.

Bem, o mapa dele é para ser admirado e para ver como os astros se vestem de arrogância no seu mapa natal. Nas suas progressões secundárias, seu Sol assenta-se em cima de seu Ascendente, em cima de Regulus e conjunto a Marte, isso é um bom sinal para que consiga votos. Mas espero que não sejam o sinal de sua vitória, pois tenho receios apenas desse marte, pois ele é a própria besta encarnada.

Torço pela Hillary!


Participe do Grupo ASTROTENDENCIA

Consultas: ADON SALEEBY

5 thoughts on “Trump e os Estados Unidos”

  1. Bem, ele está sendo constestado por vários candidatos republicanos mais tradicionais, eles o veem como um outsider e um usurpador. No lado econômico ele é bem próximo de Cliton – o que deixa os republicanos de cabelo em pé. Na retórica conservadora que ele se mostra radical. Mas me parece tudo um jogo para ele conseguir poder, ele não acredita em nada do que fala – o lado superficia lde gêmeos. De qualquer modo ele ressoa bastante com o mapa dos EUA e promete assustar os democratas.

  2. Ele é pior do que Lula, que dividiu uma nação entre irmãos? Disseminou o ódio dos pobres contra a classe média?
    Não estou defendo o Trump, de jeito nenhum, mas fui lendo sua descrição do Trump e me lembrei de imediato da nossa besta brasileira.

  3. Eu acho os democratas americanos igual aos petistas e tucanos do Brasil. Me considero de direita, porém não sou estúpido e defendo a tolerância e o respeito pela diversidade, mas se tratando de Estados Unidos eu tenho saudades de George W Bush que era (menos eloquente do que Trump) e Ronald Reagan… Se tratando de Donald Trump eu o considero um imbecil beligerante que enfiará os Estados Unidos em guerras estúpidas com nações que até são aliadas. Reconheço que votar em Donald Trump é votar na estupidez, porém se eu fosse americano não votaria de forma alguma em Trump e muito menos em Hilary.

  4. Não existe ninguém pior que Lula ! Igual pode ser !
    Quanto á Trump ele representa o sonho bairrista e patriótico de poder e liderança de todo americano . Com Hitler também era assim . O domínio da massa através do poder e do sentimento patriótico . Isso pega e faz com que o povo queira um líder de pulso firme. Os EEUU estão péssimos de candidatos . A Hilary seria menos pior que ele , mas infelizmente, devo dizer e, com muita tristeza , porque o que afeta lá afeta cá , que esse maluco vai sim , ser o presidente dos Estados Unidos da América. Deus queira que isso seja revertido e Hilary se eleja …a menos pior .

Deixe uma resposta